, ,

Agora

Framboesa Silvestre – Rubus Rosifolius

Tudo ao mesmo tempo agora. Sempre pensei nisso, mas pela primeira vez vivo isso tão de dentro, desde a minha raiz. Na natureza o ciclo vida-morte-vida não acontece de forma isolada. Na nossa vida também não. Como lidar com isso? Quais ferramentas usar para desapegar do que já foi e celebrar o novo? Como sustentar a presença? Falar discursos belos sobre a compreensão do luto, sobre o puerpério, sobre a vida é uma qualidade humana. Sentir isso em todas as nuances é um desafio tremendo. Queremos encontrar respostas certas que nos acolham e nos expliquem o sentido da vida, o sentido da dor, mas não há palavras suficientes para tanto. Ao mesmo tempo quando olhamos a nossa volta e vemos um arbusto com cuidado percebemos ali o mundo inteiro. Organicamente, sem nenhuma explicação percebemos a necessidade do ciclo simultâneo para que o todo permaneça vivo.