Meu nome completo é Camila Fillinger Cavallari

Nasci em São Paulo em 1976, sou uma pesquisadora das infinitas possibilidades de existir e da potência da imaginação como ferramenta criativa para transformação da realidade.

Na prática sou escritora, artista têxtil e ofereço experiências vivenciais para resgatar a imaginação, descobrir e inventar outras formas de existir.

Desde 2001 conduzo jornadas individuais, vivências e cursos para crianças, adultos e organizações. Atendi e desenvolvi projetos para empresas como Walt Disney, Motorola,  Microsoft entre outras, também para organizações do terceiro setor como Instituto Ayrton Senna, Instituto Fazendo Histórias e FLIP (Festa Literária Internacional de Paraty).

Tenho 4 livros publicados, sendo que 2 deles foram adotados pelo PNDL2018 (Programa Nacional do Livro Didático Literário) com mais de 110 mil exemplares distribuídos em território nacional.

Sou mãe do Gael e da Rosa e cultivo com meu marido, o David, o Sitio Tertúlia Agroecologia em São Roque, interior de São Paulo.

“Para além das idéias de certo ou errado existe um campo. Eu me encontrarei com você lá” Rumi

Antes disso

e junto com tudo  isso,  fui por 20 anos sócia diretora, da verdevaso, empresa fabricante de produtos e prestadora de serviços de paisagismo. Atedia em escala nacional, clientes como Banco Bradesco, Itaú e redes de shoppings.  Além de inúmeros escritórios de arquitetura e clientes finais.

Fui produtora de eventos e cenógrafa e desenvolvi o conteúdo do primeiro portal da Walt Disney Company Brasil nos anos 2000.

Me formei em hotelaria, me pós graduei em Administração Cultural na P.U.C de Santiago do Chile e em Administração do terceiro setor pela Fundação Arenas/FGV em São Paulo.

Em 1996 comecei a mergulhar em diferentes linhas de desenvolvimento humano, tendo aprofundado mais meus estudos na Antroposofia, no Pathwork  e na Arte de Contar de Histórias como forma terapêutica, com professores e mestres do Brasil e do mundo.

Acredito que

Perguntas nos movem…

são elas que construir a ponte entre o racional e o imaginário é uma trajetória que requer certa inocência, coragem de encarar nossa vulnerabilidade, confiança na vida e em sua abundância. Para viver seu sonho é preciso encontrar seu coração, despertar seu narrador interno e religar-se ao mistério da existência.

Por isso as experiências que eu ofereço têm caminhos para autoconhecimento e desenvolvimento humano. Por meio das relações com a arte e a natureza temos revelações profundas, acesso a lugares íntimos e individuais, onde as linguagens simbólicas trazem respostas.

Abrir essas portas é se re-conciliar com a nossa  trajetória de vida,  onde encontramos novos significados para criamos perspectivas mais amplas  para o dia a dia.

A natureza é minha mestra

e professora. Ela nos ensina o tempo todo em como encontrar soluções, respostas, acolhimento, sabedoria, inspiração para nossa vida e formas para lidar com ela. Ela tem soluções elaboradas há milhões de anos e essas referências nos apoiam a descobrirmos novas formas de viver e existir. A potência do ciclos vida-morte-vida, são podedoras metáforas para as nossas histórias.

Reconhecer esses tesouros fora é cultivar esses tesouros dentro e assim construir incríveis maneiras de se conectar com  ambiente natural e o maravilhamento com a vida. É sentir o poder das florestas escuras e perceber o sagrado que cada jardim  concebido pelo ser humano possuí.

Fazer com as mãos, é ser autor

e o que nos torna humanos. É nesse fazer manual, que surge o reflexo da nossa alma, nossa percepção do que existe dentro e pode existir fora. É arte que expande essa nossa capacidade de criar algo novo.

Muitos de nós não fazem trabalhos manuais desde a infância. Essas vivências resgatam memórias celulares de um tempo em que criamos em absoluta liberdade, no qual somos livres de conceitos intelectuais e nos trazem de volta nossa criança criativa.

Esse trabalho envolve um certo mistério, ele foge da lógica racional e nos revela coisas que jamais imaginamos. Prepare-se para se surpreender! Vai sentir aromas, cheiros, ouvir boas lembranças e criar um espaço leve dentro de você.

Ouvir e contar histórias…

é sobre escuta. É sobre buscar nos mitos, nas histórias tradicionais, nos contos de fada e nas lendas mapas que nos levem a compreender outras possibilidades de trilhar um caminho, de ouvir um chamado, de receber uma ajuda, de superar um desafio ou muitos. É a forma mais antiga de transmitir conhecimentos, sabedoria, valores e ensinamentos.

Mergulhar no “era uma vez” ou no “faz de conta ” é mergulhar na imaginação, é acordar nossas paisagens internas, criar mundos, visões, tempos e espaços.

À partir dessa escuta, passamos a ver com nossos ouvidos e ouvir com nossos corações.

As histórias formam uma ferramenta valiosa para nos tirar da realidade concreta e nos levar para o campo criativo que existe em cada de um nós. Por isso, qualquer atividade realizada depois de um momento de escuta de um conto, de um mito, de uma lenda ou de um conto de fadas, abrimos espaços para diálogos mais verdadeiros,  autoria de escrita ou de arte mais genuínas e encontramos novas possibilidades de existir.